Acessos wireless serão mais de dois terços do total de conexões no mundo em 2019

Apesar de grande crescimento no acesso móvel no mundo, a maior parte do tráfego IP será transitada em redes Wi-Fi. É o que diz o estudo Cisco Visual Network Index (VNI), divulgado nesta quarta-feira, 27: o acesso fixo via Wi-Fi será responsável por 53% de todo o tráfego global em 2019, um crescimento de 23% em taxa de crescimento anual composto (CAGR).

A Cisco detalha que a maior parte do total do tráfego IP, 36%, será de acesso Wi-Fi para dispositivos sem conexão móvel (como tablets ou laptops), um aumento de 21,1% CAGR em relação a 2014. Já para os aparelhos com conectividade 3G/4G, o tráfego Wi-Fi crescerá mais: 67,5%, ou 17% do total de todo o tráfego IP. Já o acesso fixo com fio será ainda 33%, um aumento de 11,4%. A rede móvel será responsável por 14% de todo o tráfego IP global, crescimento de 57,3%. Isso significa que, somando o acesso em redes 3G e 4G com as conexões via Wi-Fi, mais de dois terços (ou 67%) do total de conexões será wireless no mundo em 2019.

No corte do Brasil, o Wi-Fi terá maior participação, sendo responsável por 55% do total do tráfego IP em 2019. As conexões fixas com fio ainda serão 31%, enquanto os acessos móveis ficarão em 14%. “Parece pouco, mas a disponibilidade do recurso tem aspecto tecnológico e econômico levados em consideração”, explica o diretor do segmento operadoras da Cisco, Hugo Baeta Santos. Segundo ele, atualmente a proporção de acessos móveis é de cerca de 5%.

Em se tratando de acesso à Internet no mundo, o share muda: em 2019, 81% serão wireless, contra 61% em 2014. A divisão de acessos no restante será de 18% em redes móveis, 19% em fixos, 21% de tráfego via Wi-Fi para dispositivos 3G/4G e 42% para aparelhos apenas com conexão Wi-Fi.

Hotposts

O estudo VNI da Cisco cita o levantamento da Maravedis Rethink e da iPass Inc., que diz que haverá 341 milhões de hotspots Wi-Fi no mundo em 2018. Segundo essa pesquisa, a atual líder no segmento, a China, será ultrapassada pelos Estados Unidos nesse período. “Não tem dado específico de Brasil, mas a mesma tendência de crescimento segue aqui”, diz Santos.

Esse total global considera também os chamados “community Wi-Fi”, que são os acessos wireless utilizando roteadores domésticos configurados para ofertar rede pública para clientes da operadora (separados da rede privada do usuário). Santos considera que esse tipo de conexão é complementar ao das redes móveis. “A Cisco vê claramente que existe oportunidade de monetizar, tornar o Wi-Fi um negócio, complementando o 3G e o 4G”, declara. Ele explica que em alguns países as teles oferecem o Wi-Fi não apenas como offload, mas com ofertas de serviço de valor adicionado apenas acessíveis dessa forma, como serviços baseados em localização com maior precisão.

Nova tecnologia pode recarregar celular via wireless dentro de carros

Os carregadores para carro muitas vezes salvam o nosso dia, mas o que fazer quando esquecemos os cabos em casa? Já pensou poder carregar seu smartphone, tablet e demais dispositivos no carro via wireless? A tecnologia começará a ser desenvolvida em breve.

Bateria de smartphones costumam ser alvo de grandes reclamações de usuários (Foto: Arte/TechTudo) (Foto: Bateria de smartphones costumam ser alvo de grandes reclamações de usuários (Foto: Arte/TechTudo))

Qualcomm Technologies e a Daimler AG, proprietária da Mercedes-Benz, que anunciaram parceira no último fim de semana, estão colaborando para desenvolver novas soluções tecnológicas para automóveis. Entre elas está o carregamento de energia via wireless, tanto para os próprios carros quanto para os dispositivos que os usuários estejam utilizando.

Ainda, outro objetivo da parceria entre as empresas é trabalhar em tecnologias para melhorar a conectividade, para que ela funcione em alta velocidade dentro dos carros. Por enquanto, o acordo tem como foco as conectividades 3G e 4G, para não somente deixar os motoristas conectados como melhorar as atualizações de software e permitir, então, o esperado carregamento sem fio.

A Qualcomm já possui uma tecnologia de carregamento de veículos via wireless, a WEVC, utilizada na Formula-E, e que servirá de padrão para o projeto com a Mercedes-Benz. Por enquanto, ainda não há data ou previsão de lançamento. Nos resta aguardar até que a tecnologia chegue, finalmente, ao consumidor final.

Via IGN e Slash Gear

Como instalar e configurar o roteador TP-Link TL-WR740N

Neste tutorial, ensinaremos como utilizar o roteador TP-Link TL-WR740N. Um roteador sem fio(Wireless Router) é um equipamento bastante útil, tanto em locais públicos quanto em residências particulares. Sua utilização se torna ainda mais necessária caso você possua dispositivos que se conectem à internet via rede sem fio, como smartphones, tablets, notebooks, entre outros. Porém, muitas pessoas não sabem como instalar e configurar esses equipamentos.

Roteador TP-Link TL-WR740N (Foto: Divulgação)Roteador TP-Link TL-WR740N (Foto: Divulgação)

Passo 1. Conecte uma das extremidades do cabo RJ-45 que acompanha o roteador TP-Link TL-WR740N na porta WAN (em azul). A outra extremidade deve ser conectada na porta disponível em seu modem. Dica: se você tem um computador desktop (sem placa de rede sem fio), conecte o respectivo cabo RJ-45 em uma das portas de rede (cor amarela) do roteador;

Passo 2. Conecte o cabo de energia. Importante: antes de ligar o roteador, recomenda-se reinicializar o seu modem e, em seguida, ligar o roteador TP-Link TL-WR740N;

Parte traseira do roteador TP-Link TL-WR740N (Foto: Reprodução)Parte traseira do roteador TP-Link TL-WR740N (Foto: Reprodução)

Passo 3. Procure na lista de pontos de acesso sem fio de seu notebook (ou dispositivo com rede sem fio) o seu novo roteador, neste caso o nome de rede do roteador é “TP-LINK_C29D24″. Conecte nesta rede. OBS.: Inicialmente, a configuração de fábrica do roteador TP-Link TL-WR740N não exige senha;

Lista de dispositivos sem fio disponíveis (Foto: Reprodução/Leonardo Rodrigues)Lista de dispositivos sem fio disponíveis (Foto: Reprodução/Leonardo Rodrigues)

Passo 4. Através do seu navegador, digite “tplinklogin.net” na barra de endereços e tecle Enter;

Passo 5. O navegador abre uma janela requerendo o nome e senha para acessar as configurações do roteador TP-Link. Por padrão de fábrica, “Nome” e “Senha” são preenchidos com a palavra “admin” (sem aspas). Clique em “Iniciar Sessão” para prosseguir;

Acessando o roteador TP-Link TL-WR740N (Foto: Reprodução/Leonardo Rodrigues)Acessando o roteador TP-Link TL-WR740N (Foto: Reprodução/Leonardo Rodrigues)

Passo 6. Para colocar uma senha em seu roteador TP-Link TL-WR740N e evitar que estranhos acessem sua rede, clique no item “Wireless” e, em seguida,  “Segurança”;

Passo 7. Insira uma senha no campo indicado. Clique em “Salvar”. Uma mensagem indica que você deve reinicializar o seu roteador para que as novas configurações tenham efeito. Dica: Prefira o padrão WPA-PSK para configuração da senha por se tratar de um protocolo bastante seguro. Se desejar utilizar mais dispositivos para acessar a internet via rede sem fio, basta utilizar a mesma senha de segurança.

Configurando uma senha para o roteador TP-Link TL-WR740N (Foto: Reprodução/Leonardo Rodrigues)Configurando uma senha para o roteador TP-Link TL-WR740N (Foto: Reprodução/Leonardo Rodrigues)

Ladrão de Wi-Fi: descubra se seu sinal está sendo roubado

Sempre quando você está no melhor momento da sua série favorita, ou vendo um vídeo no youtube, ou baixando algum arquivo, o sinal da sua internet parece ficar lento?
Se esta situação ocorre com frequência, é preciso pensar na hipótese de alguém estar usando sua rede wi-fi sem que você saiba.

Confira dicas para descobrir o ladrão de WiFi e como evitar isso:

1 – Suspeita

A primeira pista de um possível furto de wi-fi é simples: se a internet ficar mais lenta em algumas horas do dia ou se ficar lenta de forma recorrente.

A segunda pista virá do roteador. Você precisa apagar completamente todos os dispositivos sem fio de sua casa. Se uma das luzes do roteador, a destinada ao wi-fi (às vezes indicada como WLAN) continuar piscando, é possível que esteja ocorrendo o furto.

2 – Descubra o ladrão

Se a suspeita já existe, é preciso antes descartar outras possibilidades, como estar usando uma rede sem fio com pouca velocidade, computadores demais ligados a ela ou até mesmo obstáculos físicos ao seu wi-fi.

Para descartar estas possibilidades, especialistas recomendam instalar no computador, smartphone ou tablet um programa ou aplicativo que mostre os dispositivos conectados à sua rede.

Existem várias opções gratuitas, como o Fing, para Android e iOS; Network, Discovery ou Net Scan, apenas para Android; e IP Network Scanner ou iNet, para o iOS.

Também há opções para computadores de escritório: Angry IP Scanner ou Wireshark para várias plataformas e Wireless Network Watcher e Microsoft Network Monitor para os dispositivos da companhia de Bill Gates.

Todos eles mostram quantos dispositivos estão conectados à rede sem fio, cada um identificado com um endereço IP.

Se o aplicativo ou programa escolhido indicar que há mais dispositivos conectados à sua rede do que os que você tem, há um ladrão de wi-fi por perto.

3 – Veja se alguém se conectou enquanto você não estava

Os programas e aplicativos citados acima detectam possíveis intrusos em sua rede wi-fi, mas apenas se eles estiverem usando sua rede ao mesmo tempo que você.

Mas há formas de saber se alguém se conectou ao seu wi-fi enquanto você não estava em casa.

Para isto, você precisa de uma informação do roteador: o endereço IP, uma série de números separados por pontos, de três em três.

É possível encontrar este número no manual do roteador ou então no próprio computador. Se você tem um Mac, basta clicar no ícone de wi-fi e ir até o “abrir centro de redes e recursos compartilhados” no menu, depois ir até “conexão de área local” ou “conexão de rede sem fio”.

Vá até “detalhes”, onde outra janela vai se abrir. O endereço IP identificado como “porta de link predeterminado IPv4″ é o endereço IP do seu roteador.

Se o seu computador é Windows, vá até a “busca” e digite “ipconfig/all”, depois “conexão LAN sem fio” e, por último, “endereço físico”. Assim, poderá obter o endereço do roteador.

Você precisa colocar este número em seu navegador, desta forma poderá acessar a rede do roteador.

Após escrever a senha, você vai descobrir um registro das conexões feitas até este momento na sua rede wi-fi.

4 – Proteja sua rede

Talvez você tenha deixado sua rede sem fio aberta para que todos os membros da família possam se conectar. Ou talvez foi um descuido, ou algum vizinho usou algum aplicativo para descobrir suas senhas de wi-fi.

Seja como for, ter um intruso em seu wi-fi pode causar mais problemas do que você pensa. Eles podem ter acesso a informações armazenadas em computadores conectados à sua rede e, em casos mais extremos, podem cometer um crime em seu nome, como baixar pornografia infantil, por exemplo.

Para evitar tudo isso, a primeira coisa a fazer é mudar a senha do wi-fi. Sempre substitua por alguma mais complexa.

James Lyne, da companhia especialista em segurança em internet Sophos, recomendou à BBC evitar o uso de apenas uma palavra na senha. O melhor é combinar letras e números.

“É mais seguro ‘AmoMuitoBBCBrasil123′ do que ‘BBCBrasil’”, afirmou.

Para o especialista, outro truque para uma senha segura é pensar na letra da sua música favorita e escolher um trecho.

Por Stéphanie Rendon

TP-LINK apresenta portfólio no iPlanet Officer 2015

A TP-LINK, empresa líder em equipamentos wireless e de banda larga, apresenta os lançamentos de seu portfólio no iPlanet Officer 2015, evento do setor de distribuição de equipamentos de TI e de automação que acontece hoje no Transamérica Expo Center, em São Paulo (SP).

O principal objetivo da empresa no evento é estreitar o relacionamento com clientes e parceiros, apresentando novos produtos voltados tanto para o usuário final quanto para pequenas empresas.
“Vemos a 5ª edição do iPlanet como uma oportunidade para a TP-LINK fortalecer o relacionamento com o nosso cliente, fazer novos contatos e pensar em novos negócios“, afirma Tatiana Melquiades, Gerente de Distribuição da TP-LINK no Brasil. “Nosso portfólio no País cresce a cada dia e nos faz líder no mercado global. Queremos também esse reconhecimento no Brasil, atuando sempre de acordo com as tendências tecnológicas do setor e desenvolvendo equipamentos de alta performance e ótimo custo para atender às necessidades dos nossos usuários”, finaliza a executiva.
Confira alguns dos produtos apresentados no evento:
  • Roteadores Archer C2 & Archer C20i: Ambos apresentam o padrão de última geração Wi-Fi – o 802.11ac. Possuem velocidade wireless de 433Mbps em frequência mais limpa de 5GHz e 300Mbps em 2.4GHz e oferecem a flexibilidade de duas bandas independentes, o que garante excelente desempenho wireless. Tarefas simples como envio de e-mails ou navegação comum podem ser gerenciadas pela banda de 2.4GHz enquanto as atividades que exigem largura de banda, por exemplo, jogos on-line e streaming de vídeos em HD podem ser processados pela banda de 5GHz – tudo ao mesmo tempo.
  • Carregador portátil TL-PB10400: com alta capacidade de 10400mAh, permite recarregar um smartphone três a cinco vezes.
  • Roteador Portátil TL-MR3020: alimentado por um adaptador portátil ou pelo laptop, o TL-MR3020 permite ao usuário facilmente compartilhar uma conexão móvel 3G/4G com a família e amigos, em qualquer lugar dentro da cobertura 3G/4G. Ao conectar um modem USB 3G/4G ao roteador, um ponto de acesso 3G/4G Wi-Fi é imediatamente estabelecido.
  • TL-WPA4220KIT: Com velocidade de até 500 Mbps, estende sua conexão para todos os cômodos da casa utilizando a rede elétrica. Possui velocidade de 300 Mbps na rede wireless, e usando o botão wi-fi clone, pode copiar automaticamente o nome da rede e senha do roteador wireless, simplificando, assim, a configuração Wi-Fi.