Novos ônibus de SP terão WiFi e tomadas para recarga de smartphone

Prefeitura da cidade quer colocar até 2.500 novos veículos do tipo nas ruas da cidade em até dois anos.

A Prefeitura de São Paulo anunciou que os novos ônibus da cidade terão recursos interessantes para os usuários de tecnologia, como conexão WiFi e tomadas para a recarga de celulares.

Em uma publicação no seu site oficial, a Prefeitura aponta que os veículos superarticulados contarão ainda com ar condicionado e câmeras de monitoramento.

Os ônibus, que possuem 23 metros de comprimento e capacidade para transportar até 171 passageiros, começam a rodar na cidade em julho.

Segundo a Prefeitura, a partir do próximo mês a cidade receberá cerca de 100 unidades por mês dos novos ônibus. O objetivo é atingir entre 2 mil e 2.500 veículos desse tipo em até dois anos.

Os novos ônibus “modernizados” já foram comprados por diferentes empresas que prestam serviços à Prefeitura.

Nova tecnologia pode recarregar celular via wireless dentro de carros

Os carregadores para carro muitas vezes salvam o nosso dia, mas o que fazer quando esquecemos os cabos em casa? Já pensou poder carregar seu smartphone, tablet e demais dispositivos no carro via wireless? A tecnologia começará a ser desenvolvida em breve.

Bateria de smartphones costumam ser alvo de grandes reclamações de usuários (Foto: Arte/TechTudo) (Foto: Bateria de smartphones costumam ser alvo de grandes reclamações de usuários (Foto: Arte/TechTudo))

Qualcomm Technologies e a Daimler AG, proprietária da Mercedes-Benz, que anunciaram parceira no último fim de semana, estão colaborando para desenvolver novas soluções tecnológicas para automóveis. Entre elas está o carregamento de energia via wireless, tanto para os próprios carros quanto para os dispositivos que os usuários estejam utilizando.

Ainda, outro objetivo da parceria entre as empresas é trabalhar em tecnologias para melhorar a conectividade, para que ela funcione em alta velocidade dentro dos carros. Por enquanto, o acordo tem como foco as conectividades 3G e 4G, para não somente deixar os motoristas conectados como melhorar as atualizações de software e permitir, então, o esperado carregamento sem fio.

A Qualcomm já possui uma tecnologia de carregamento de veículos via wireless, a WEVC, utilizada na Formula-E, e que servirá de padrão para o projeto com a Mercedes-Benz. Por enquanto, ainda não há data ou previsão de lançamento. Nos resta aguardar até que a tecnologia chegue, finalmente, ao consumidor final.

Via IGN e Slash Gear

Ladrão de Wi-Fi: descubra se seu sinal está sendo roubado

Sempre quando você está no melhor momento da sua série favorita, ou vendo um vídeo no youtube, ou baixando algum arquivo, o sinal da sua internet parece ficar lento?
Se esta situação ocorre com frequência, é preciso pensar na hipótese de alguém estar usando sua rede wi-fi sem que você saiba.

Confira dicas para descobrir o ladrão de WiFi e como evitar isso:

1 – Suspeita

A primeira pista de um possível furto de wi-fi é simples: se a internet ficar mais lenta em algumas horas do dia ou se ficar lenta de forma recorrente.

A segunda pista virá do roteador. Você precisa apagar completamente todos os dispositivos sem fio de sua casa. Se uma das luzes do roteador, a destinada ao wi-fi (às vezes indicada como WLAN) continuar piscando, é possível que esteja ocorrendo o furto.

2 – Descubra o ladrão

Se a suspeita já existe, é preciso antes descartar outras possibilidades, como estar usando uma rede sem fio com pouca velocidade, computadores demais ligados a ela ou até mesmo obstáculos físicos ao seu wi-fi.

Para descartar estas possibilidades, especialistas recomendam instalar no computador, smartphone ou tablet um programa ou aplicativo que mostre os dispositivos conectados à sua rede.

Existem várias opções gratuitas, como o Fing, para Android e iOS; Network, Discovery ou Net Scan, apenas para Android; e IP Network Scanner ou iNet, para o iOS.

Também há opções para computadores de escritório: Angry IP Scanner ou Wireshark para várias plataformas e Wireless Network Watcher e Microsoft Network Monitor para os dispositivos da companhia de Bill Gates.

Todos eles mostram quantos dispositivos estão conectados à rede sem fio, cada um identificado com um endereço IP.

Se o aplicativo ou programa escolhido indicar que há mais dispositivos conectados à sua rede do que os que você tem, há um ladrão de wi-fi por perto.

3 – Veja se alguém se conectou enquanto você não estava

Os programas e aplicativos citados acima detectam possíveis intrusos em sua rede wi-fi, mas apenas se eles estiverem usando sua rede ao mesmo tempo que você.

Mas há formas de saber se alguém se conectou ao seu wi-fi enquanto você não estava em casa.

Para isto, você precisa de uma informação do roteador: o endereço IP, uma série de números separados por pontos, de três em três.

É possível encontrar este número no manual do roteador ou então no próprio computador. Se você tem um Mac, basta clicar no ícone de wi-fi e ir até o “abrir centro de redes e recursos compartilhados” no menu, depois ir até “conexão de área local” ou “conexão de rede sem fio”.

Vá até “detalhes”, onde outra janela vai se abrir. O endereço IP identificado como “porta de link predeterminado IPv4″ é o endereço IP do seu roteador.

Se o seu computador é Windows, vá até a “busca” e digite “ipconfig/all”, depois “conexão LAN sem fio” e, por último, “endereço físico”. Assim, poderá obter o endereço do roteador.

Você precisa colocar este número em seu navegador, desta forma poderá acessar a rede do roteador.

Após escrever a senha, você vai descobrir um registro das conexões feitas até este momento na sua rede wi-fi.

4 – Proteja sua rede

Talvez você tenha deixado sua rede sem fio aberta para que todos os membros da família possam se conectar. Ou talvez foi um descuido, ou algum vizinho usou algum aplicativo para descobrir suas senhas de wi-fi.

Seja como for, ter um intruso em seu wi-fi pode causar mais problemas do que você pensa. Eles podem ter acesso a informações armazenadas em computadores conectados à sua rede e, em casos mais extremos, podem cometer um crime em seu nome, como baixar pornografia infantil, por exemplo.

Para evitar tudo isso, a primeira coisa a fazer é mudar a senha do wi-fi. Sempre substitua por alguma mais complexa.

James Lyne, da companhia especialista em segurança em internet Sophos, recomendou à BBC evitar o uso de apenas uma palavra na senha. O melhor é combinar letras e números.

“É mais seguro ‘AmoMuitoBBCBrasil123′ do que ‘BBCBrasil’”, afirmou.

Para o especialista, outro truque para uma senha segura é pensar na letra da sua música favorita e escolher um trecho.

Por Stéphanie Rendon

Cinco dicas para fazer o sinal da rede WiFi chegar a todos os cantos da casa

Por 

A internet sem fio através da rede WiFi fez “milagres” na vida do homem moderno. Poder usa o computador, smartphone ou tablet em qualquer canto da casa – seja no quarto, na cozinha ou até mesmo no banheiro – é uma grande “dádiva” da qual podemos desfrutar atualmente e com que muitos de nossos antepassados nem sonhavam. No entanto, nem tudo são flores quando o assunto é a qualidade do sinal emitido pelos roteadores.

Quem tem WiFi em casa já sabe: sempre tem aqueles lugarzinhos onde a internet simplesmente não chega. E parece não adiantar apelar para maneiras nada comuns para melhorar o sinal da rede. No entanto, há soluções plausíveis e que realmente podem solucionar – ou pelo menos amenizar – o problema. Vamos a elas?

Aprenda a levar o sinal da rede WiFi para todos os cantos da sua casa.

1. Atualizar o hardware e o software do seu roteador

Se você está enfrentando dificuldades com a sua rede WiFi, seja na conexão ou na qualidade do sinal, que está fraco em determinado local, atualizar o software de seu roteador pode minimizar os problemas. Essa é uma dica batida e que muitos provavelmente já devem estar carecas de saber.

Porém, vale a pena recordar: acesse o site do fabricante e procure pelo modelo do seu roteador. Se houver, baixe a atualização, acesse o dispositivo através do navegador e faça o upgrade de firmware. Para mais dúvidas sobre o assunto, recomendamos o tutorial em vídeo como configurar uma rede sem fio.

É importante atualizar o hardware e o software de seu roteador.

Quando o assunto é o hardware, é preciso “batalhar” um pouco mais para atualizar seu dispositivo. Como muitos consumidores recebem o roteador – às vezes junto com o modem – da empresa de telefonia que está oferecendo o serviço de internet, trocar o aparelho por conta própria nem sempre é uma opção. Nestes casos, vale a pena ligar para a companhia e verificar se não há um modelo mais recente do seu equipamento e como trocá-lo.

Mas caso o roteador seja seu, comprar um melhor não vai ser um grande problema. Se você estiver cheio da grana, apostar em produtos como o AC3200 da D-Link seria o ideal. Porém, além da indisponibilidade em nosso país, o preço pode assustar um pouco. Sobre a compra desses dispositivos, algumas dicas valiosas podem ser obtidas nesse artigo.

 

O monstruoso AC3200 da D-Link.

2. Reposicionar o roteador

Mesmo que a dica seja batida e já pareça ser “senso-comum”, há algumas sugestões novas e valiosas que podem resolver o problema de posicionamento do roteador sem fio. Uma delas é o WiFi Solver FDTD, um aplicativo para Android que ajuda as pessoas a encontrarem o melhor lugar para colocar o dispositivo.

O princípio do aplicativo – de todas as dicas sobre reposicionamento do roteador – se baseia na ideia de centralizar o dispositivo. Portanto, o recomendado é deixar o equipamento em uma área que pareça estar equidistante de todas as pontas da casa. Pense nele como se fosse o centro de uma bolha, o que vai facilitar a busca pelo local perfeito.

3. Usar repetidores de sinal

Todos já devem ter visto aqueles aparelhos que são colocados nas tomadas e prometem resolver todos os problemas com as redes WiFi. Na verdade, os repetidores podem ser a solução, mas apenas em casos específicos.

Funcionando apenas como um aumentador do sinal, os repetidores apenas retransmitem o que é captado pelo roteador principal. Apesar de favorecerem a qualidade da rede transmitida, a velocidade nem sempre é satisfatória. É como se o seu notebook estivesse com todas as “barrinhas do WiFi” preenchidas, mas navegando em uma internet bem lenta.

DIR-505 da D-Link.

Configurá-lo, entretanto, geralmente não é uma tarefa difícil. Basta plugá-lo na tomada, conectá-lo através de um cabo de rede (que geralmente acompanha o produto) a um computador, acessar as suas configurações e colocá-lo como um repetidor de sinal. Os dados para acesso do aparelho geralmente estão localizados em sua carcaça.

Outra solução, antiga, mas eficiente, são os adaptadores Powerline, dispositivos que aproveitam a rede elétrica para transmitir dados simultaneamente à energia. Geralmente composto de dois aparelhos, um deles é conectado ao roteador e envia o sinal para os fios da rede elétrica. O outro, plugado em uma tomada distante, envia os dados para os computadores conectados a ele.

TL-WPA281KIT da TP-Link.

4. Seguir as dicas tradicionais

Algumas dicas tradicionais, mas não menos importantes, também devem ser observadas se você quiser levar a rede WiFi para todos os cantos da sua casa. Uma delas é buscar um canal de transmissão que esteja liberado e que favoreça o sinal de sua internet. O Wi-Fi Analyser, para Android, pode ajudar nesse sentido.

Tirar do caminho aparelhos que causam interferência, como fornos de micro-ondas e telefones sem fio, e evitar obstáculos e barreiras físicas também são essenciais para melhorar a qualidade do sinal nos cômodos de sua residencial. E não se esqueça de atualizar o driver do adaptador de rede do seu computador e verificar se não há espertinhos roubando a sua conexão WiFi.

Não se esqueça das dicas tradicionais sobre a rede WiFi.

5. Fazer as gambiarras do Área 42

Área 42 dispensa apresentações. Assita aos vídeos abaixo e aprenda a aumentar o sinal da rede WiFi usando lata de batatas fritas ou uma garrafa Pet.

FONTE(S)

Melhore o sinal Wi-Fi com uma lata de batatas fritas

qualidade do sinal de uma rede Wi-Fi depende de muitos fatores, entre eles a qualidade do roteador, os obstáculos presentes entre o computador e o transmissor de sinal e, principalmente, a qualidade das antenas tanto do roteador quanto do adaptador Wi-Fi, esteja ele presente em um notebook, em um smartphone ou em um dispositivo USB.

Muitas vezes não é possível se aproximar do roteador para melhorar o sinal, muito menos reposicionar os equipamentos de forma adequada para que você possa receber o sinal com mais qualidade.

Para resolver esses problemas, é possível instalar uma antena direcional no roteador ou no periférico que está tentando se conectar ao aparelho. Enquanto as antenas omnidirecionais transmitem em todas as direções, as antenas direcionais podem concentrar a transmissão em um único ponto, tornando o sinal mais forte e confiável.

Além de manter uma transmissão mais forte, essas antenas podem atenuar o nível de ruídos presente nas ondas de rádio, eliminando possíveis oscilações presentes na transmissão.

Nós vamos construir um modelo simples, utilizando uma lata de batatas fritas e um adaptador Wi-Fi USB.

Lista de materiais necessários

1 lata de batatas fritas (consulte tabela para ver as medidas);
1 abajur velho;
1 adaptador Wi-Fi USB;
1 cabo extensor USB;
Cola quente;
Ferramentas.