Melhore o sinal Wi-Fi com uma lata de batatas fritas

qualidade do sinal de uma rede Wi-Fi depende de muitos fatores, entre eles a qualidade do roteador, os obstáculos presentes entre o computador e o transmissor de sinal e, principalmente, a qualidade das antenas tanto do roteador quanto do adaptador Wi-Fi, esteja ele presente em um notebook, em um smartphone ou em um dispositivo USB.

Muitas vezes não é possível se aproximar do roteador para melhorar o sinal, muito menos reposicionar os equipamentos de forma adequada para que você possa receber o sinal com mais qualidade.

Para resolver esses problemas, é possível instalar uma antena direcional no roteador ou no periférico que está tentando se conectar ao aparelho. Enquanto as antenas omnidirecionais transmitem em todas as direções, as antenas direcionais podem concentrar a transmissão em um único ponto, tornando o sinal mais forte e confiável.

Além de manter uma transmissão mais forte, essas antenas podem atenuar o nível de ruídos presente nas ondas de rádio, eliminando possíveis oscilações presentes na transmissão.

Nós vamos construir um modelo simples, utilizando uma lata de batatas fritas e um adaptador Wi-Fi USB.

Lista de materiais necessários

1 lata de batatas fritas (consulte tabela para ver as medidas);
1 abajur velho;
1 adaptador Wi-Fi USB;
1 cabo extensor USB;
Cola quente;
Ferramentas.

África do Sul ganha WiFi gratuito em máquinas de venda da Coca-Cola

Você já tinha um bom motivo para se dirigir a uma máquina automática que vende Coca-Cola — o próprio refrigerante. Porém, uma nova iniciativa, que por enquanto está em fase de testes, fará com que muita gente não saia do lado de um desses locais. A resposta? WiFi.

A Coca-Cola firmou uma parceria com a operadora British Telecom Global Services para oferecer WiFi nas máquinas que vendem o refrigerante, garatindo acesso gratuito à internet em comunidades que muito provavelmente nem contam com a conexão nas próprias casas.

O projeto foi instaurado primeiro em determinados locais da África do Sul, Nelspruit e Umtata — com os pontos estrategicamente próximos de escolas e shoppings. Não é necessário cadastro ou equipamento específico para acessar a conexão, e ela está disponível durante seja lá por quanto tempo você ficar próximo às máquinas.

A ideia é garantir acesso à internet para jovens, para que eles possam ir atrás de conhecimento adicional ao que é passado na escola, e a adultos com o próprio negócio, que precisam da rede para trabalhar e gerenciar serviços. Vender mais refrigerantes, claro, também está entre os objetivos da parceria.

FONTE(S)

O Projeto WIFI Livre da prefeitura de São Paulo

O projeto WIFI LIVRE SP, desenvolvido pela Prefeitura de São Paulo, é pioneiro e inovador em grandes cidades no Brasil. Prevê a instalação de acesso gratuito à internet por sistema Wi-Fi em 120 praças ou localidades públicas no município, atendendo todos os 96 distritos da Capital.

O acesso será irrestrito e gratuito a qualquer cidadão, que poderá fazer uso da rede por meio de notebooks, tablets, smartphones ou qualquer outro dispositivo. O projeto tem a coordenação da Secretaria Municipal de Serviços com apoio técnico da PRODAM – Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Município de São Paulo – e atende à meta 73 do Plano de Metas da Prefeitura de São Paulo (eixo temático 1 – Compromisso com os direitos sociais e civis).

Prefeitura de São PauloProdam